Acreditar em Deus e Ajudar o Próximo


Tema: Acreditar em Deus e Ajudar o próximo.

Itapema 27/08/2016

Régis Duarte Müller

15° Dom Ap Pentecostes – 27/08 a 03/09/2016      

Textos Bíblicos: Sl 131; Pv 25.2-10; Hb 13.1-17; Lc 14.1-14

 

Estamos vivendo dias de política. Candidatos à Prefeitura e câmara dos vereadores estão pedindo que confiemos nosso voto, pois dizem que são pessoas de confiança, e por isso, merecem o voto. Prometem que vão ajudar o próximo, se comprometem a ajudar os desfavorecidos, necessitados, e a resolver os problemas que a cidade possui.

Ajudar o próximoÉ possível que muitos sejam realmente confiáveis, mas não estamos aqui para julgar os candidatos, suas promessas, caráter, competência, e ainda se é ou não digno de confiança. Queremos falar a respeito da importância de acreditar em Deus e ajudar o próximo.

Muitos dizem que vão entrar na política para ouvir e atender as necessidades do povo. Contudo, não é preciso ser prefeito ou vereador para isso. Mesmo sem assumir um cargo público, nós temos compromisso com o próximo, como dizem as sagradas Escrituras: “Não deixem de fazer o bem e de ajudar uns aos outros, pois são esses os sacrifícios que agradam a Deus” (Hb 13.16).

Isso significa ser hospitaleiro, ajudar o próximo em suas necessidades, viver uma vida matrimonial fiel, saber usar o dinheiro, pois o amor é demonstrado na vida prática, seguindo os exemplos dos líderes do passado.

Não é apenas aquele que toma posse de um cargo público que tem deveres sociais, mas aquele que possui o título de cristão e seguidor de Cristo também tem. Ora, pois, como cristãos, temos responsabilidades e compromissos com o próximo, tanto em sua vida pessoal/material, como também em sua vida espiritual.

No entanto, qual tem sido o nível de preocupação que dispomos às necessidades do próximo: Alta, média ou baixa? Ou quem sabe: Sempre, ás vezes ou nunca? O que tenho feito pelo meu próximo em sua vida pessoal, material, intelectual ou espiritual?

Como diz Paulo ao jovem pastor Timóteo: “Se alguém não cuida dos seus, especialmente dos de sua própria família, este tem negado a fé e se tornou pior que um descrente” (1Tm 5.8).

Uma atitude assim é resultado da avareza, da riqueza mal empregada, de se dispor a cuidar Avarezaapenas dos próprios interesses, e diante disso corremos o grave risco de esmorecer a fé. Muitas vezes, ansiando os melhores lugares nas festas e na sociedade, abrimos mão do melhor lugar que já recebemos: Nosso lugar bem especial no céu, cuidado e preparado pelo próprio Jesus.

Portanto, ajudar o próximo é uma responsabilidade cristã, e não fazê-lo significa receber o juízo de Deus e perder o nome de filho de Deus que Ele próprio concedeu aos crentes. Quando deixamos de ajudar o próximo nós pecamos contra os Mandamentos de Deus. De modo que não devemos agir assim, mas antes: “devemos ajuda-lo e favorece-lo em todas as necessidades corporais, ajuda-lo a melhorar e conservar os seus bens e o seu meio de vida, falar bem dele e interpretar tudo da melhor maneira” (Explicação do 5°, 7° e 8° mandamentos).

Quando não nos importamos com as necessidades do próximo, estamos sujeitos ao juízo de Deus e ao castigo eterno. Por outro lado, ajudar o próximo é verdadeira e sincera demonstração de fé e de amor, como afirma o apóstolo Tiago: “Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé” (Tg 2.18).

A fim de que tivéssemos exemplos e orientação, Deus nos deixou guias espirituais, deixou trabalho em equipeo exemplo dos primeiros líderes espirituais e do próprio Jesus, que é o mesmo ontem, hoje e sempre (Hb 13.7). Além do mais, Ele próprio disse: “Eu nunca os deixarei e jamais os abandonarei” (Hb 13.5).

Deus é fiel, e por isso repetimos ao final das nossas refeições: “Agradecemos ao Senhor porque Ele é bom e seu amor dura para sempre”. Por causa do seu amor e misericórdia, Deus nos concedeu conhecimento, sabedoria, bens e toda sorte de bênçãos, materiais e espirituais. De modo que, por tudo isso, e por causa da fé em Jesus Cristo, o qual conquistou a cidade eterna, ofertemos a Deus sacrifícios de louvor (Hb 13.15).

Queridos amigos e irmãos. Jesus Cristo conquistou por nós o perdão, a vida e a salvação. Por isso, a coisa mais importante de nossa vida (a vida eterna) não pode ser comprada ou adquirida, nem mesmo podemos escolher o lugar que vamos ficar. Contudo, por tudo que Cristo fez em nosso lugar, podemos acreditar em Deus e escolher ajudar o próximo. Sendo assim, ouçamos o que Deus nos orienta fazer, e pratiquemos com alegria esta obra de fé e de amor. A saber: “Não deixem de fazer o bem e de ajudar uns aos outros, pois são esses os sacrifícios que agradam a Deus” (Hb 13.16). Que assim seja. Amém.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: